O_Lote_Osso_foto_haroldo_saboia_peq-4422 (1)

Nova criação de Cristian Duarte em companhia instiga público com laboratório na MITsp

Percepção e afeto norteiam ‘Ó’, resultado da quarta edição da residência artística Lote Osso

A partir desta terça-feira, 8, até 12 de março, Ó, mais novo trabalho investigativo dirigido pelo coreógrafo Cristian Duarte, terá um experimento público dentro do contexto do Mostra Internacional de Teatro de São Paulo – MITsp, com o Laboratório Ó. Inédita, a coreografia vem sendo executada dentro do ambiente da residência artística Lote Osso, e realiza sua temporada de estreia de 15 a 26 de março, na Casa do Povo.

Aberturas públicas e experimentação são características da residência ao longo de suas edições e, para esta criação, terá a oportunidade de experimentar no contexto da MITsp. O Laboratório tem como objetivo levar a outras pessoas esse material para que essas percepções possam fazer parte da gestão da obra e de e suas possibilidades. “Em relação ao formato, neste momento a peça está em estado de expansão. Já existe uma estrutura clara para navegar e o laboratório no MITsp é uma oportunidade para entendermos como o encontro com a esfera pública pode nos proporcionar novos circuitos junto das matérias que estamos dispostos a tocar”, explica Cristian em entrevista exclusiva para o Idança. 

Busca pela empatia na relação corpo e espaço 

Seguindo sua investigação do minimalismo na dança e da sensorialidade do movimento, Cristian manifesta nesta criação a vontade de estabelecer o que chama de ‘dramaturgia tátil’, através da modulação incessante de percepção e afeto. A obra, que vem sendo realizada com o apoio do 17º Programa de Fomento a Dança para a cidade de São Paulo, contou com a cooperação da CocoonDance Company (Bonn/Alemanha), encontro que trouxe como ponto de partida a mitologia grega e suas provocações.

Para a Cia, a ‘dramaturgia tátil’ se constitui através do contato com outros corpos, entendendo também como corpo o próprio espaço onde a peça acontece, seus limites e particularidades.

A peça convida o público para constituir junto dos dançarinos um campo de empatia e, através da exploração da sensorialidade, dialogar com o conto mitológico proposto. “O mito de Orfeu, atravessamento estabelecido inicialmente pela cooperação junto da companhia alemã CocoonDance, disparou uma vontade reflexiva sobre como ressignificar o discurso relacional presente na narrativa grega. Toda escolha se depara com encruzilhadas e eleger um mundo que compreende o gesto de olhar para trás, com todas as metáforas que isso deve e pode designar, com consciência, traz ao trabalho um movimento que apreende o futuro, próximo de uma ecologia dos afetos, e distante da frontalidade obediente incapaz de torcer os sentidos”, pontua o coreógrafo.

Cristian Duarte em companhia é o modo de pesquisa, criação e produção em dança desenvolvido pelo coreógrafo na cidade de São Paulo. Diferentes artistas e técnicos profissionais são convidados a integrar uma rede de colaboradores em acordo com a especificidade de cada projeto. Desde 2011, se articula através da residência artística LOTE – iniciativa que busca estimular práticas de trabalho compartilhado e a experimentação em dança, e que tem sido cosmo fundamental para a continuidade da sua ação coreográfica.

 

 

 

SERVIÇO:

Laboratório Ó na MITsp

Datas: de 08 a 12 de Março de 2016 (terça à sábado)
Horário: sempre às 21h
Endereço: Lote Osso/Casa do Povo, Rua Três Rios, 252 – segundo andar, Bom Retiro – São Paulo. Tel: (11) 3227-4015
Classificação: 14 anos
Capacidade: 50 lugares
Grátis

Estreia Ó

Datas: de 15 a 26 de Março de 2016 (terça à sábado)
Horário: sempre às 21h
Endereço: Lote Osso/Casa do Povo, Rua Três Rios, 252 – segundo andar, Bom Retiro – São Paulo. Tel: (11) 3227-4015
Classificação: 14 anos
Capacidade: 50 lugares
Ingressos: R$20 (inteira) R$10 (meia)

Bilheteria abre 1h antes da apresentação.

 

[Fotos: © Haroldo Saboia]