Foto Raquel Basso Acuados 3

Violência contra a mulher é discutida em novo espetáculo de Eva Schul

Estreia no dia 14 de junho Acuados, espetáculo da Ânima Companhia de Dança, com direção da coreógrafa Eva Schul. A montagem – que coincide com os 25 anos da companhia e também com os 10 anos da sanção da Lei 11.340, conhecida como a Lei Maria da Penha – tem como ponto de partida as situações de violência contra a mulher e, em particular, a violência doméstica.

Maria da Penha foi vítima de violência durante 23 anos de casamento. Em 1983, o marido por duas vezes, tentou assassiná-la. Na primeira vez, com arma de fogo, deixando-a paraplégica, e na segunda, por eletrocussão e afogamento. Após essa tentativa de homicídio ela tomou coragem e o denunciou. O marido de Maria da Penha só foi punido depois de 19 anos de julgamento e ficou apenas dois anos em regime fechado, para revolta de Maria com o poder público. O caso motivou a OEA a condenar o Brasil por não dispor de mecanismos suficientes e eficientes para coibir a prática de violência doméstica contra a mulher.

Em Acuados, procura-se retratar a submissão que existe nas relações violentas, que leva à quebra da personalidade, e da autoestima dos indivíduos.  Personagens se confundem na busca de sensações de inferioridade, e os reflexos destas sensações nos movimentos de uma dança, que propõe que o público acompanhe e sensibilize-se ao vislumbrar, poética e esteticamente, o que não passa de dor e injustiça.

Acuados, da Ânima Companhia de Dança
Dias 14, 21 e 28 de junho, às 20h
Sala Álvaro Moreira
R. Érico Veríssimo, 307 – Porto Alegre, RS

Dias 1, 2 e 3 de julho, 20h
Usina do Gasômetro – Sala 209
Av. Pres. João Goulart, 551, Porto Alegre – RS
Tel.:(51) 3289-8100

Ingressos a R$30 e R$15

Foto: (c) Raquel Basso